Você está aqui

Representatividade

FIERGS destaca que mudanças constantes e restrições às atividades da indústria geram insegurança

A ampliação das restrições às atividades da indústria determinada em decreto pela prefeitura de Porto Alegre, nessa terça-feira (23), traz mais perdas ao setor e desorganiza a economia privada, já bastante afetada pela pandemia provocada pelo coronavírus, avalia a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS). A entidade, desde o início da crise, defende o equilíbrio entre os cuidados com a saúde da população e a economia. “Essas constantes alterações e mudanças de uma semana para outra nos dão muita insegurança.

FIERGS manifesta preocupação com troca de bandeiras

A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) manifesta preocupação com as mudanças para bandeiras restritivas em função da Covid-19, atingindo diversas Regiões gaúchas. Segundo a entidade, as alterações promovidas como decorrência do modelo adotado pelo Executivo estadual não podem gerar insegurança a empreendedores e empregados por não saberem quando e como poderão trabalhar, desorganizando completamente a economia privada.

A INDÚSTRIA ASFIXIADA E O ESTADO SOB PRESSÃO

Desde o início da pandemia, a indústria gaúcha vem registrando uma descomunal queda no seu nível de atividade. Segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, 60% das empresas apresentam queda intensa na produção fabril, e 72% apontam redução drástica de faturamento. Essa realidade leva ao fechamento de vagas de trabalho, como lamentavelmente mostrou o recente relatório do Caged :  1,1 milhão de brasileiros ficaram sem emprego formal nos meses de março e abril.

Preocupação é a de manter empresas ativas e pessoas com renda, diz presidente da FIERGS

A indústria deve tomar a frente na retomada que o Brasil necessita após  superada a grave crise do coronavírus, entende o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, em manifestação pelo Dia da Indústria, comemorado em 25 de maio. Para essa recuperação ocorrer, porém, será fundamental medidas que preservem o setor, além da continuidade do ajuste fiscal e das reformas estruturais que o Brasil vinha implementando, entre elas a venda de empresas estatais que não são estratégicas para o País.

Presidente da FIERGS e vice-presidente Mourão debatem os reflexos da crise para o Brasil

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, sugeriu na manhã dessa sexta-feira (15), ao participar de uma live com o vice-presidente da República general Hamilton Mourão, que o Governo Federal crie um fundo para socorrer diretamente as empresas, com linha direta, de R$ 40 ou 50 bilhões. A ideia, segundo Petry, é “irrigar a economia” brasileira em um momento tão crítico, abalada pela forte crise provocada pela pandemia do coronavírus, sem precisar passar pela burocracia das instituições bancárias.

FIERGS destaca que restrição ao comércio afeta recuperação da indústria e do emprego

O novo decreto de distanciamento controlado do governo do Estado, que passou a valer essa semana, pouco altera a situação da indústria, pois mantém o funcionamento parcial do setor, apenas estabelecendo cores de bandeiras para cada região com maior ou menor risco de contágio pelo coronavírus. Porém, como continuam as limitações severas ao comércio nos municípios gaúchos, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) ressalta ser esse um fator a influenciar nas retomadas da indústria e do emprego, que levarão ainda mais tempo.

FIERGS leva a ministro documento com pedido de apoio ao Rio Grande do Sul

O atual vice-presidente e presidente eleito para a gestão 2024/2027 da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Claudio Bier, representando o presidente Gilberto Porcello Petry, entregou ao ministro da Secretaria Extraordinária da Presidência da República para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, o documento Resgate-RS. Trata-se de um programa cujo objetivo é apoiar empresas, Estado e municípios em projetos que viabilizem o resgate dos agentes econômicos e da população afetados pelas enchentes.

Entidades empresariais reforçam que assistência às empresas e trabalhadores do RS é crucial 

A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) e a Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS) reforçam que, com o reconhecimento do estado de calamidade pública, torna-se urgente a implementação de medidas para assegurar a sobrevivência das empresas e a manutenção dos empregos. Segundo nota conjunta, as duas entidades expressam profunda preocupação diante da situação crítica que afeta empresas e trabalhadores no Rio Grande do Sul. 

Claudio Bier é eleito para presidir a FIERGS

Claudio Affonso Amoretti Bier é o novo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) para o período 2024 a 2027. Ele foi eleito, nesta terça-feira (21), pela Chapa 1, com 54 votos, contra 53 do candidato da Chapa 2, Thômaz Nunnenkamp. Todos os 107 Sindicatos Industriais aptos a votar, votaram, em uma eleição histórica com 100% de adesão. “O Estado atravessa uma crise que nunca atravessou, e a minha responsabilidade como presidente da FIERGS será muito grande.

Indústria segue contabilizando perdas com as inundações no Rio Grande do Sul

Ainda não é possível calcular a extensão dos danos e perdas de capital das indústrias prejudicadas pelas inundações no Rio Grande do Sul, nem mesmo o número de fábricas que sofreram abalos diretos às suas instalações. Porém, de acordo com o último estudo divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), em 13 de maio, amparado no número de municípios atingidos de alguma forma - seja por alagamentos, deslizamentos ou problemas logísticos -, 94% da atividade econômica do Estado foi afetada, em localidades onde estão instaladas 95% das indústrias gaúchas.